10 perguntas para Adalci Righi, Diretora de Relacionamento Institucional da Logpyx

A 4ª Revolução Industrial aconteceu na última década (e está acontecendo ainda em todo o mundo) com a ambiciosa meta de adoção de um conjunto de tecnologias emergentes de TI e automação industrial para gerar novos ambientes produtivos com intensa digitalização de informações e comunicação direta entre sistemas, máquinas, produtos e pessoas. 

 

Mais ambicioso ainda do que vislumbrar o Brasil adotando essas tecnologias na prática, foi o trabalho que começou a ser desenvolvido por uma startup do ramo de logística para aplicar os benefícios da Indústria 4.0 e da Internet das Coisas (IoT) no processo de carga e descarga de veículos: reduzir em 50% o tempo de veículos no pátio 

 

Revologuma plataforma de RTLS (Real Time Location System) da Logpyx, que possibilita a otimização de fluxos de veículos para logística de pátio, é o carro-chefe da startup e cumpriu esse ousado objetivo. A solução faz parte de uma linha de produtos com tecnologia de ponta, fazendo uso de recursos de Internet Industrial das Coisas, Otimização Matemática e estatística, pesquisa operacional, heurísticas e, claro, da Industria 4.0. 

 

Fazendo parte de um mercado de Indústria 4.0 que analistas globais indicam ter potencial de US$ 15 trilhões em 15 anos, a visão da Logpyx é bastante otimista sobre esse mercado. Estamos em um momento de mudança acelerada”, explica Adalci RighiDiretora de Relacionamento Institucional da Logpyx. “O potencial de ganho é enorme.” 

 

Leia abaixo a entrevista completa com a executiva da Logpyx. 

tegUP: Como foi criada a Logpyx? Ela surgiu a partir de uma demanda do mercado?  

Adalci RighiLogpyx surgiu de várias pesquisas na área de logística em indústrias da região de Minas Gerais e São Paulo. Na época, em 2015, os gestores desse segmento procuravam uma solução para evitar as multas da Lei do caminhoneiro que havia sido promulgada naquela época. A preocupação era de reduzir o tempo de permanência dos veículos no pátio para no máximo cinco horas, para ficarem em consonância com a Lei e não terem o custo adicional de estadia. 

 

tegUP: Porque a opção de iniciar uma startup no segmento de logística? Como você enxerga esse mercado? 

AR: Percebemos que a área de logística era uma área deficiente em tecnologia nas indústrias no Brasil. O potencial de ganho é enorme, por isso decidimos investir nesse mercado. 

 

tegUPQuais seus diferenciais das demais empresas do mercado?    

AR: Nós usamos uma tecnologia nova: IoT (internet das coisas) o que nos permitiu criar um produto diferenciado com um valor de gestão maior e com custo inferior. 

 

tegUPPor que buscaram o programa da TegUP? Quanto tempo a empresa já tinha quando entraram no programa? 

 

AR: Logpyx já existia há 2 anos quando entramos no programa de aceleração da tegUP. Buscamos a tegUP porque percebemos que se tratava de uma empresa forte no mercado em logística e capaz de nos alavancar comercialmente. Também percebemos a Tegma como uma investidora estratégica para a Logpyx 

 

tegUPQual foi a estratégia de vocês para serem vencedores desse programa? O que acha que levou a serem escolhidos? 

AR: A mesma estratégia de mercado: produto diferenciado em um mercado carente de inovação. Acreditamos que foi exatamente o produto que nos permitiu sermos escolhidos. 

 

tegUP: Como foi cada etapa desse processo? O que cada etapa teve de mais interessante?  

AR: A melhor etapa foi a avaliação para investimento. Foi um período no qual ficamos muito próximos do time da Tegma e criamos laços de amizade que vão além do negócio. Hoje, consideramos a Tegma uma parceira estratégica. 

 

tegUPOlhando a empresa quando entrou no programa de aceleração e hoje, já é possível ver uma diferença? Há mais iniciativas que estão por vir após essa fase de aceleração? 

AR: Sim, a Tegma alavancou negócios para a gente. Agradeço muito ao time de inovação e ao comercial da Tegma. Em breve teremos grandes notícias sobre essa parceria. E, sim, a nossa parceria continua. A Tegma está em contato com clientes estratégicos para a Logpyx e está nos apoiando nesses processos comerciais.   

 

tegUPLogpyx utiliza Internet Industrial das Coisas, Otimização Matemática e estatística, pesquisa operacional, heurísticas e Industria 4.0. Como começaram a aplicar esses conceitos em seus produtos? Foi um caminho fácil? 

AR: Não há nada fácil quando se trabalha com inovação. Foi muito sangue e suor para chegarmos a um produto robusto e escalável. Hoje, temos um produto capaz de atender a empresas com rigorosos processos de segurança e grande exigência de qualidade de informação.  

Somos capazes de informar com precisão qual doca um veículo ocupou e por quanto tempo, por exemplo. Tudo isso de forma automática, sem que haja necessidade de digitação de placas ou ação humana. 

 

tegUP: Como você enxerga o universo de startups com as quais convive? É realmente um mercado disruptivo no Brasil? 

AR: Sim. As startups vieram para mudar o modus operandi do mercado, seja ele na indústria, no comércio ou nas relações financeiras. Acredito que o mundo está vivendo um momento de reacomodação tecnológica.  

Estamos em um momento de mudança acelerada. Nossos netos terão um mundo diferente do nosso para viver e experienciar. 

 

tegUPTem alguma dica ou mensagem para outras startups que querem traçar esse mesmo caminho?  

AR: Não tenham medo de inovar e de testar coisas novas. Tenham medo de ficarem estagnadas, pois essa é a receita do fracasso.  





© TegUP Ventures 2022. Todos os direitos reservados. Imagens meramente ilustrativas.

Siga-nos nas redes:

Facebook Linkedin Instagram
.