Conectando criatividade à inovação

Entenda quais são os principais passos necessários para o processo de inovação de um produto ou serviço.

Certamente dentro do ambiente corporativo você já ouviu falar sobre os termos criatividade e inovação. Longe de serem sinônimos, essas palavras estão sempre ligadas entre si devido a sua similaridade, mas na prática se mostram bem diferentes.

Muitas são as definições de um ou outro termo, mas traduzindo para um significado prático, enquanto a criatividade é a capacidade de gerar novas ideias e conceitos, a inovação é definida pela competência em colocar as novas ideias em andamento.

Se por um lado a criação é pensar em saídas que não necessariamente passam por problemas reais, inovar é criar protótipos com viabilidade e uma proposta de valor que será percebida pelo cliente.

Mas como deve ser o processo de criatividade e inovação? Não existe uma fórmula mágica que garanta o sucesso na condução das ideias, mas alguns passos ajudam a estruturar esse processo para implementar novos conceitos:

1 – Criação – escolha de uma ideia com futuro

Quando é preciso resolver um problema que é a dor de alguém, nada melhor doque se colocar no lugar dessa pessoa. Entre os pré-requisitos do UX, experiência do usuário, está a empatia. Interagir com o público, realizar entrevistas e se conectar com pessoas. Nesta etapa do processo de inovação não existe limite, muito pelo contrário, quanto mais você conseguir mergulhar na realidade do público alvo, melhor será a concepção das ideias.

Muitas vezes durante essa fase a criação de soluções acontece de maneira natural. De tanto investigar e debater sobre um tema ouvindo ativamente as pessoas, o caminho a seguir aparece naturalmente em forma de uma demanda não atendida.Lembra daquela frase que diz que a necessidade é a mãe da invenção? Ela é verdadeira. O brainstorm é importante no processo, mas somente após um período de apuração amplo.

2 – Verificação – ambiente de teste e laboratório

Depois de passar pela primeira etapa, o caminho necessário a seguir começa a ficar mais próximo. Em muitos casos, quando chega a etapa da verificação já existe uma ou várias personas bem definidas. É como se você conseguisse ouvir o usuário falando na sua cabeça quando uma dúvida aparece.

Nesse momento é possível testar os diferentes tipos de público e um protótipo do produto ou serviço. Após essa atividade, ideias de melhoria tendem a aparecer e já começa a ser possível medir a viabilidade do projeto.

3 – Realização – o começo da prática

Nesse momento do projeto você já sabe como o cliente enxerga sua solução, já tem uma definição de qual estratégia irá tomar, faltando apenas ir para o mercado. É nessa hora em que você pode testar hipóteses usando um ambiente real e não simulado como nas fases anteriores. Estabeleça um pequeno universo de atuação e comece a fazer experiências para atingir uma etapa de maturação mais completa.

Colocar possibilidades à prova é uma forma segura e rápida, pois cada teste indica um conhecimento, reduzindo incertezas e diminuindo o risco da sua solução.Criatividade e inovação são alguns dos ativos mais valiosos do mercado hoje em dia.

Pensando nisso, a tegUP, lançou o Programa de Aceleração de Startups 2021, uma oportunidade para tirar a ideia da sua startup do papel e levar ao mercado.Conheça o programa: (https://acelera.tegup.com/)

Fontes

https://blog.sementenegocios.com.br/criatividade-e-inovacao/
https://www.ideianoar.com.br/criatividade-e-inovacao-como-promover-a-inovacao-dentro-da-empresa/
https://blog.aevo.com.br/categoria/criatividade-e-inovacao/
https://blog.sementenegocios.com.br/criatividade-e-inovacao/
https://viverdeblog.com/criatividade-inovacao/





© TegUP Ventures 2018. Todos os direitos reservados. Imagens meramente ilustrativas.

Siga-nos nas redes:

Facebook Linkedin
.