Empreendendo durante e no pós pandemia

Independente do momento, atenção a novas tendências e cuidados com o desenvolvimento pessoal dos colaboradores irão fazer parte do novo normal.

Quando os negócios irão voltar ao normal? Quanto tempo ainda teremos o distanciamento social? Como devo empreender pensando em tudo isso?

Para nenhuma dessas perguntas acima ninguém tem respostas 100% corretas, mas calma, isso não é o fim do mundo e também você não perderá a chance de se lançar em novos desafios só porque as coisas não estão como eram antigamente. Na verdade, muita gente acha que o formato de relação com os consumidores, sejam eles pessoas ou empresas, jamais será o mesmo.

Sabe aquela história do copo meio cheio ou meio vazio? Pois é, essa alegoria nunca fez tanto sentido como entre 2020 e 2021.

Se por um lado o contato entre consumidores está limitado, por outro a conexão entre essas pessoas e os negócios nunca esteve tão em alta.

Vamos tomar como exemplo a decisão de abrir uma empresa do setor de alimentação. Nesses tempos, vale a pena ter mais mesas em um restaurante ou um sistema de entregas e a exposição do seu cardápio em múltiplas plataformas virtuais?

É a história do corpo em ação. 

As pessoas em nenhum momento deixaram ou irão deixar de se alimentar, o que mudou foi a forma como a oferta de produtos deve ser oferecida.

Abaixo, listamos e explicamos alguns pontos importantes que direcionam todos os tipos de negócios na hora de empreender.

Atenção às novas tendências

As transformações trazidas pela inovação com o surgimento de novas tecnologias nunca foi tão grande. Com a maior conexão entre pessoas e coisas, a relação virtual crescerá ainda mais nos próximos anos. Até pouco tempo atrás vivíamos na era da informação, você deve se lembrar desse termo. Era um tempo onde a informação das pessoas era considerada o mais importante para conhecer os consumidores. Essas informações ainda são cruciais, mas agora, a troca de dados entre dispositivos e os algoritmos que interpretam comportamentos e perfis criaram um oceano de oportunidades.  Com base nisso, nada é melhor que antecipar a necessidade do cliente e criar uma oportunidade de negócios do que apenas falar sobre os benefícios do seu produto, pensando em termos de mercado.

A chegada dessas novas tecnologias é chamada de 4.0, a quarta revolução industrial. Essa revolução não é somente importante para indústrias e vai impactar todos os segmentos de negócios no futuro, de startups a hospitais, de bancos e repartições públicas. 

Conhecer todos esses movimentos da inovação é preponderante para todos os empreendedores que estão iniciando seus negócios, como também para quem já está empreendendo, isso porque novas tecnologias podem aumentar receitas com novos mercados ou abordagens disruptivas.

Tenha múltiplas estratégias ao mesmo tempo

Um plano só é um bom plano quando tem alternativas, esse é um conceito estratégico que se mostra verdadeiro quando temos muitos meios e plataformas para nos relacionar. Em uma empresa tradicional, criar alternativas era investir em canais de distribuição variados, mas quando falamos em marketing, construir saídas consiste também em expor suas soluções para novos públicos e também criar novas formas de relação. Se o seu produto é destinado ao público final, será que não é possível criar um outro canal com empresas que possam trabalhar sua solução, ou mesmo pensar uma ação de cross-selling com negócios similares em que todos saiam beneficiados.

A ideia central por trás da existência de um plano B é não depender de uma única via. Assim como em uma cidade cheia de ruas e avenidas, é importante ter mais de um caminho para chegar ao destino final: seus objetivos. 

Voltemos ao exemplo da empresa alimentícia. Com a chegada da pandemia, o setor teve que se reinventar com a obrigação de manter as portas fechadas. Quem já trabalhava bem o canal virtual saiu na frente, enquanto quem apostava no convencional atendimento de balcão precisou correr atrás do prejuízo e se lançar nas vitrines virtuais que as plataformas oferecem.

Quando se fala em criar alternativas, tanto de distribuição quanto em parcerias, ferramentas de análise de negócio podem abrir caminhos de atuação que antes não estavam claros. Colocar tudo no papel, ou melhor, nas telas e planilhas é uma forma estratégica de estruturar uma expansão para novos mercados.

No real ou virtual, o desenvolvimento de pessoas é vital

Com exceção de profissionais liberais ou modelos de trabalho em que a empresa é constituída por apenas um indivíduo, desenvolver pessoas é um importante item no check list diário dos negócios. Seja para manter a produtividade de uma linha de produção alta, ou no pronto atendimento de novas propostas que chegam pelas redes sociais em uma startup, o treinamento frequente da equipe e um modelo de comunicação interna são decisivos. Atualizações que deixem todos os funcionários na mesma página em termos de conhecimento do negócio e objetivos, além de práticas esperadas, deve ser uma prática perene. 

Mas engana-se quem acha que criar treinamentos e educar colaboradores é o bastante. O desafio nessa área é maior. É preciso criar uma linguagem que seja acessível a todos e criar métodos de avaliação que monitorem como os conceitos são trabalhados. Conteúdos que sejam didáticos e interativos são os mais empregados com sucesso, além do uso de meios virtuais diante do cenário atual de home office irão fazer a diferença para o cumprimento das metas e objetivos de sua empresa.

Fontes:

https://omack.com.br/o-novo-normal/

https://oimparcial.com.br/noticias/2021/04/ideias-para-empreender-no-novo-normal/

https://www.jornalcontabil.com.br/negocios-10-dicas-para-empreender-em-epoca-de-pandemia/





© TegUP Ventures 2018. Todos os direitos reservados. Imagens meramente ilustrativas.

Siga-nos nas redes:

Facebook Linkedin
.