Fintechs: o futuro do mercado financeiro já começou

Por: tegUP, aceleradora de startups.     

 

Afintechs trazem novas possibilidades a investidores e usuários que precisam de investimento, e têm foco na desburocratização das operações, seja a contratação de um simples cartão de crédito ou acesso a um investimento maior. Por isso são consideradas uma boa alternativa para microempreendedores, que costumam se deparar com todo o tipo de burocracia ao tentar contratar serviços financeiros em instituições tradicionais. 

 

E quando o assunto é a segurança e a proteção de dados, as fintechs saem na frente dobancos tradicionais. Isso porque sua segurança é baseada no uso de tecnologia criptografada. 

 

Bancos em todo o mundo já começaram a estudar o potencial do blockchain para identificar eventuais falhas de segurança e começaram experimentações tímidas. Entretanto, o ritmo acelerou e, hoje, as fintechs já aderiram de vez à tecnologia, que garante muito mais segurança para as transações realizadas. 

 

Diferente de bancos e instituições financeiras tradicionais, que usam a tecnologia apenas para facilitar os serviços, as fintechs têm por essência o uso dblockchain e da inovação para revolucionar as ferramentas, processos e até mesmo as metodologias deste mercado. 

 

A fintech europeia SDK.financeem parceria com a Oracle, está adquirindo uma plataforma blockchain para melhorar os processos de pagamentos e remover intermediários. 

 

Isso traz benefícios e uma ótima experiência para o usuário que, além de enfrentar menos burocracia, menos custos e ter fácil acesso às informações sobre suas operações financeiras, ainda pode contar com tecnologia criptografada para proteção de dados. 

 

Segundo um estudo realizado pela Escola de Investimentoas startups financeiras são o modelo de negócio que mais recebe investimento no Brasil, e estão na mira aceleradoras e investidores, que têm programas focados exclusivamente em fintechs. Um exemplo é a Zen, que recebeu, em abril de 2019, um aporte de R$ 5,7 milhões. Esta é a segunda rodada de investimentos da Zen, que está no mercado há menos de um ano. 

 

Só em 2018 foram registradas mais de 450 fintechs no país, cerca de 30% a mais em relação a 2017. 

 

Apesar da expansão do mercado e da constante busca dos usuários por soluções financeiras inovadoras e desburocratizadas, as fintechs ainda enfrentam diversos obstáculos.   

 

Um dos principais desafios é a lucratividade. Com um mercado cada vez mais concorrido, é difícil obter lucro em curto prazo sem o apoio de investidores.  

 

Outro obstáculo é o desenvolvimento de aplicativos que acompanhem a qualidade do atendimento e do pós-venda. Ainda que existafintechs com ótimos aplicativos, elas ainda são exceção. 

 

Mas tudo indica que os novos hábitos de consumo irão incentivar ainda mais o desenvolvimento do setor, que tem tudo para decolar e, quem sabe, até substituir os modelos tradicionais. 

 

Sobre o Autor     

A tegUP é uma aceleradora de startups e braço de inovação aberta da Tegma Gestão Logística. A aceleradora apoia startups e empresas de tecnologia transformadoras que ofereçam produtos, serviços e tecnologia relacionados ao universo da Logística, apresentem alto potencial de evolução e necessitem de algum tipo de suporte para acelerar seu crescimento.      

www.tegup.com





Siga-nos nas redes:

Facebook Linkedin
.